OE DE BERGAMOTA QUINARÍ

R$57,90

 

Nome Botânico: Citrus bergamia
Origem: Itália
Parte da planta: Cascas
Forma de Extração: Prensagem a frio das cascas dos frutos
Agricultura: Convencional

Categoria:

Descrição

 

OE Bergamota – 10ml

Em distúrbios como obesidade, celulite, retenção hídrica, casos de stress, gripes e resfriados. Útil em problemas como o herpes e em banhos para tratar infecções e inflamações na área genital. Regenerador da pele, ansiolítico.

 

Sobre o Bergamota (Citrus bergamia):

Bergamota, que mais parece um limão enorme, é um mistério, a começar pelo nome. Livros de Aromaterapia citam que seu nome se originou de Bergamo, uma cidade da Lombardia, norte da Itália. Isso parece curioso porque não se cultiva a bergamota lá. A história dos cítricos na Itália procedeu assim: no século III, a cidra foi trazida; no século VII, foi o limão; no século X, veio a laranja. Os italianos passaram a cultivar os cítricos no século XIV, com as mudas adquiridas dos sarracenos. Mas não há documentação sobre a bergamota – na verdade, os primeiros registros surgiram do outro lado, no sul da Itália, na cidade de Reggio Calábria. Controvérsias à parte, considerando a etimologia da palavra, laranja vem do sânscrito naaranga; bergamota vem do idioma turco beg armudi que significa “pera príncipe”.

 

 

A alma das plantas!

Óleos essenciais são os componentes orgânicos responsáveis pelo aroma que as plantas exalam. Obtidos através de processos de extração como a destilação a vapor, são encontrados em pequenas bolsas – glândulas secretoras – existentes na superfície de folhas, flores ou no interior de talos, cascas e raízes. Altamente voláteis, espalham-se rapidamente pelo ar. Os óleos essenciais são recursos terapêuticos e fonte de pesquisas na Aromaterapia; e principal foco de estudo da Aromatologia.

 

São de grande complexidade química, visto que contém em sua composição, às vezes, mais de uma centena de componentes químicos, como ésteres, aldeídos, álcoois, cetonas, fenóis, e outros. Essa complexidade química e sinérgica lhes atribui ação antibiótica, antisséptica, antifúngica, analgésica, bactericida, etc. , o que os torna mais eficazes do que muitos medicamentos criados em laboratório, cuja elaboração, às vezes é formulada com muito menos princípios ativos do que os encontrados em apenas um único óleo essencial, extraído de uma única planta.

 

Qual a utilidade dos óleos essenciais e onde eles são empregados

Conhecidos como flavorizantes pela indústria de alimentos; empregados como matéria prima nobre na produção de perfumes e cosméticos; também são largamente utilizados pela indústria farmacêutica, para síntese de compostos aromáticos e remédios. Com propriedades altamente benéficas para a saúde, podem ser utilizados de inúmeras maneiras. Quer seja em tratamentos – para enfermidades de cunho físico ou psicológico -, quer seja enquanto ingrediente gourmet, remetendo-nos as nossas avós de outrora que, sabedoras dos inúmeros benefícios terapêuticos e aromáticos dos temperos e ervas, os empregavam em suas preparações.

 

Clique aqui e saiba mais sobre Aromaterapia.

Óleos Aromáticos

 

 

SEGURANÇA:

Gestantes, dicas aqui.

– Não utilize óleos essenciais puros sobre a pele.

– Usar sempre em baixa dosagem.

– Armazene longe do alcance de crianças.

– Não utilize na região dos olhos, ouvidos e mucosas.

– Em caso de irritação, suspenda o uso e procure orientação médica.

– O Dandelion e a Quinarí não se responsabilizam pelo uso indevido dos produtos.

 

 

ATENÇÃO!

O ÓLEO MINERAL E SEUS DERIVADOS PREJUDICAM A ABSORÇÃO DOS ÓLEOS ESSENCIAIS, PORTANTO, NÃO USE CARREADORES QUE CONTENHAM ESSAS SUBSTÂNCIAS.

Antes de utilizar um óleo essencial sobre a pele, mesmo que diluído, realize o teste de sensibilidade. Aplique de 1 a 2 gotas da substância na parte interna do antebraço, e espere alguns minutos. Caso ocorra qualquer processo de sensibilização ou vermelhidão, lave a região em água corrente e suspenda o uso do produto.

 

FORMAS DE USO:

– AROMATIZAÇÃO: de 6 a 15 gotas em difusor de ambiente. De 1 a 2 gotas em colar aromatizador pessoal. De 3% a 5% em solução para borrifador (para cada 100ml de base, utilize de 66 a 120 gotas de óleo essencial).

– INALAÇÃO DIRETA: de 3 a 6 gotas em água recém fervida ou vaporizador, direcionando o vapor para inalação.

– COSMÉTICO: de 0,5% até 3% de diluição em base creme, gel ou óleo vegetal (Para cada 100ml de base utilize de 11 a 66 gotas de óleo essencial).

– MASSAGEM: de 3% a 5% de diluição (para cada 100ml de óleo carreador utilize de 66 a 120 gotas de óleo essencial).

– BANHEIRA E ESCALDA PÉS: Dilua de 6 a 12 gotas de óleo essencial em um copo com carreador com solubilidade em água, (sabão líquido neutro, mel, shampoo, etc.) misture e adicione na banheira. Para escalda-pés, use de 3 a 12 gotas na água, utilizando do mesmo processo de diluição em carreador, caso algum óleo possua ativos cáusticos.

 

OUTRAS INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

CONSERVAÇÃO: Os óleos essenciais são sensíveis à radiação UV, bem como a evaporação gradual dos seus constituintes. É importante manter os óleos essenciais em frascos escuros a temperaturas entre 5 ° C e 40 ° C. Guardar numa caixinha na geladeira, pode manter sua qualidade inalterada por mais tempo.

Bergamota, Quinarí